Como lidar com o sentimento de rejeição

Como lidar com o sentimento de rejeição

Compartilhar

Somos indivíduos sociais, precisamos pertencer a algum grupo e ser aceito por eles para viver, quem seja um grupo de amigos, trabalho ou família. Porém, uma vez que passamos por essa necessidade de viver em bando, a possibilidade de rejeição vem sempre junto. Frederico Mattos, psicólogo e autor do blog Sobre a Vida explica um pouco esse fenômeno:

“Não existe unanimidade. Na natureza humana sempre haverá cores, sabores, experiências e pessoas que agradarão mais uma pessoa do que outra. O problema é que nós temos uma fantasia de que nosso desejo pelo outro deveria criar uma atração correspondente e irresistível”

Apesar de ser completamente natural e que todos vão passar em algum momento da vida, a rejeição costuma abalar bastante a vida da pessoa rejeitada. A negativa de uma pessoa a quem você deu o seu melhor faz com que segurança em suas qualidades seja enfraquecida. Este processo apesar de natural, não é algo racional, que fazemos com consciência do ato e de suas consequências.

“A rejeição pode acontecer por aspectos conscientes ou por outros inconscientes, como alguém que remete sentimentos avessos e repugnantes de muito tempo atrás, o jeito ou a aparência física pode despertar lembranças não claras no outro que causam essa desconexão. Forçar a barra seria uma agressão para os dois lados”.

A pior das rejeições é aquela no âmbito amoroso. O termino de um relacionamento é sempre algo doloroso para ambas as partes e que requerer bastante maturidade para lidar com a situação. Se este é o seu caso, e você está passando por um momento difícil, vamos dar dicas de como superar este período e sair dele mais forte e seguro de si!

 

Não esqueça a autoestima

Não permita que uma rejeição amorosa abale o que você acha se si. Não quer dizer que porque alguém não quer mais ficar com você que ninguém queira. Pior, não ache que ser rejeitado é sinônimo de que você é uma pessoa ruim, feia e sem qualidades.

Respeite não ser correspondido

“Alguma pessoa tem dificuldade de tolerar não serem correspondidas, como se aquilo fosse um ataque pessoal. É como se o alvo de sua paixão fosse obrigado a responder positivamente seus sentimentos. Mesmo num relacionamento de longa duração, as vidas e as personalidades podem tomar rumos diferentes e aquilo que motivava inicialmente a união se perde no meio do caminho”.

 

Aceite a tristeza

Por mais doloroso que o momento seja aceite que é natural um sentimento de tristeza e de apatia. Estes períodos de rejeição não são duradouros e eventualmente você vai acabar achando uma forma de lidar com o sentimento, até que ele não passe de uma lembrança passada. Fugir da dor é só um jeito de prolongar o processo.

Faça escolhas melhores

Ainda de acordo a Frederico, o momento pôs rejeição é uma ótima hora para fazer uma análise dos critérios que te levaram a se relacionar com determinada pessoa. “Repense os próprios critérios para entender se as pessoas pelas quais você se apaixona costumam ser indisponíveis ou inacessíveis demais. Tente compreender se existe uma disposição efetiva para ser amada ou se, no fundo, você só está criando um ciclo de rejeição”.

A vida segue

Não é porque você foi rejeitado e está triste e abatido com toda a situação que o mundo vai parar para você “se curar”. O trabalho, os estudos, a vida como um todo continua lá precisando da sua atenção. “Redirecionar aquele desejo, amor e carinho para outras fontes saudáveis, como pessoas acolhedoras e queridas, é um bom jeito de lentamente obter nutrição emocional sem a pressão por novas tentativas amorosas”.

Se movimente

Exercícios físicos são ótimos para movimentar o corpo e sair daquela letargia pos rejeição. Faça um esforço diário para não se render à tentação de ficar em casa remoendo a situação e se martirizando. Comece com pequenos esforços, como sair para uma caminhada leve no bairro, até a pratica de esportes.