Conheça o Saxenda, o mais novo remédio para emagrecer

Conheça o Saxenda, o mais novo remédio para emagrecer

Compartilhar

 A obesidade é o verdadeiro mal do século, e se engana quem acha que este problema é apenas dos Estados Unidos. O resultado da Pesquisa Nacional de Saúde realizada no Brasil está aí para provar. Atualmente 20% dos brasileiros é considerado obeso, de acordo ao índice IMC (altura x peso), enquanto mais de 50% da população está com o peso acima do ideal para a sua altura e faixa etária. O prognostico para o futuro é desanimador. A tendência da população, se seguido o ritmo atual, é continuar engordando.

Apesar de afetar a autoestima das pessoas, a obesidade e o excesso de peso não devem ser encarados apenas pelo prisma estético, mas principalmente como um problema de saúde público. Não há mais dúvidas sobre a relação entre o ganho de peso e uma série de doenças crônicas e graves como o diabetes, colesterol alto, pressão alta, doenças coronarianas e vasculares. A verdade é que a obesidade agrava o quadro de qualquer doença já existente, além de abrir a porta para muitas outras, até o câncer.

Os médicos estão muito preocupados com este quadro e, qualquer promessa da indústria farmacêutica é encara com bastante entusiasmo. O mais novo fármaco que promete auxiliar na obesidade é a liraglutida, uma injeção subcutânea que deve ser aplicada com um aparelho semelhante a uma caneta de insulina, vendida no pais com o nome de Saxenda.

O Saxenda foi aprovado pela Aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No corpo ela atua simulando do funcionamento do hormônio GLP-1, fabricado no intestino e que atua no cérebro e no trato digestivo, induzindo o sentimento de saciedade após a alimentação, que é tão benéfico para aqueles que querem eliminar peso.

 “A ideia é que a pessoa não sinta tanta fome ao longo do dia e coma porções menores”

Informa Rocio Della Coletta, gerente médica da companhia. A liraglutida, substancia do Saxenda, já é conhecida dos endocrinologistas. Na década de 90 ela foi estudada como droga para tratar o diabete tipo 2. Durantes estas pesquisas é que os cientistas perceberam o potencial emagrecedor dessa droga A Novo Nordisk, fabricante do Saxenda, realizou então uma série de estudos clínicos com voluntários de todo o mundo para testar o efeito da liraglutida em obesos que não tinham quadro de diabetes.

Os resultados foram fantásticos! Dos pacientes que utilizaram a liraglutida (em conjunto com boa alimentação e exercícios), cerca de 63% delas emagreceram, comparado a 27% daqueles que tomaram o placebo. O peso perdido foi em médica de 7,8 quilos, com perda de 8,2 centímetros de abdômen.

Saxenda – Solução para a obesidade?

Conforme o uso do Saxenda foi se difundido, surgiram vários estudos clínicos sobre os reais efeitos da pílula. Como era de se esperar, as notícias não são tão animadoras, mas não pela falta de eficácia do produto. Os efeitos colaterais, além da necessidade de picadas todos os dias, estão principalmente relacionados a depressão e suicídio.

Entretanto, o Saxenda é sim uma droga que promete os efeitos desejados, mas a sua adesão ainda é baixa. Este fator pode ser facilmente explicável pelo fato que não adianta apenas consumir o Saxenda e manter a mesma rotina. Ele deve ser usado como parte de um plano terapêutico contra a obesidade, que alia o medicamento a uma boa dieta e a pratica de exercícios físicos, o que é difícil para a maioria das pessoas.

 “Em cinco anos, apenas 5% dos pacientes mantêm a perda de peso. É frustrante”

Relata a endocrinologista Tarissa Petry, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo. Outro fator é o seu custo elevado, necessitando de um investimento mensal de R$ 1500,00 a R$ 2000,00, para um resultado ainda incerto. A verdade é que todas as drogas que prometem o emagrecimento, como o Saxenda, devem ser encaradas como meros coadjuvantes nesse processo, e não protagonistas.

A receita para um emagrecimento saudável e duradouro ainda está no combo boa alimentação mais pratica de atividades físicas. Outro detalhe que muitas pessoas subestimam é a necessidade de consultar um médico, ele será o profissional indicado para fazer uma avaliação global de sua saúde, como checar os níveis de hormônios da tireoide, que estão entre as causas principais da dificuldade de perder peso.