Dicas de cuidado com a pele no pré e pôs depilatório

Dicas de cuidado com a pele no pré e pôs depilatório

Compartilhar

Se você sofre com pelos encravados não importa o método de depilação escolhido, está na hora de seguir algumas dicas imprescindíveis. Para nos ajudar nessa tarefa temos a ajuda da Dermatologista Mayra Tosta Lima Clemente, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Limpeza Adequada

Uma dica muito importante que serve tanto para o pré quanto para o pôs depilatório é apostas na higiene do local onde os fios serão retirados. A recomendação da Dra. Mayra é limpar a pele com sabonete antisséptico, enxaguar bem de preferência com agua fria. Após o procedimento, limpe novamente a pele e use um produto hidratante com propriedades calmantes. Você também pode usar o Bepantol para acalmar a pele.

Remédios caseiros

Tratamentos caseiros à base de óleos essenciais contra foliculite também ajudam a amenizar a inflamação do pelo interno. O óleo de melaleuca é ótimo porque possui ação antisséptica e anti-inflamatória. Além dele, gel de aloe vera e vinagre de maçã aliviam o problema.

Outra alternativa, ideal para lesões semelhantes a furúnculos, é aplicar compressas de água ou chá de camomila morno, já que o calor facilita a drenagem do pus. A dermatologista Mayra indica deixar o líquido em contato com a pele machucada durante 15 minutos, quatro vezes ao dia.

Como desencravar o pelo

O processo de desencravar o pelo de forma correta não é difícil, mas é essencial estar atenta a limpeza. Comece lavando e esterilizando a sua pinça com álcool 70 graus. Depois, lave as mãos e a área a ser tratada com sabonete antisséptico. Vale lembrar que esse procedimento caseiro de desencravar o pelo com a pinça só pode ser feito caso o pelo seja visível na superfície da pele. Caso o pelo esteja desencravado internamente, procure um especialista para evitar a foliculite.

“Muitos pacientes têm complicações por tentaram arrancar os fios encravados por conta própria”. Ainda segundo ela, é preciso saber a hora certa para usar a pinça, a fim de não piorar a foliculite e causar consequências graves como necrose, manchas e cicatrizes. “Cada lesão é de um jeito e só um profissional saberá identificar o momento e a maneira correta de tratá-la”, ressalta a profissional.