Dicas para uma alimentação saudável – parte 1

Dicas para uma alimentação saudável – parte 1

Compartilhar
alimentacao-saudavel

Comer bem tem se tornado uma meta, um desafio, para cada vez mais pessoas. Ao mesmo tempo, parece ser cada vez mais difícil – afinal, os supermercados hoje em dia parecem ter à venda mais alimentos embalados do que frescos.

Uma alimentação balanceada e com alimentos saudáveis traz muitos benefícios.

A disposição pela manhã é muito melhor, o corpo reage melhor às doenças, fica-se muito menos gripado, o intestino costuma funcionar melhor, a pele fica mais bonita e sedosa e, muitas vezes, só com a troca de uma alimentação processada por uma fresca, já perde-se peso. Confira algumas dicas para ter uma alimentação saudável, sem sofrer!

1 – Troque o supermercado pela feira.

Com um simples lema, “supermercado é para comprar produtos de limpeza”, as coisas ficam fáceis de entender.

Alimentos processados são repletos de conservantes, aromatizantes, sódio, alguns têm até cloro e amônia em sua composição, além de venenos como BHA e BHT. É importante ler os rótulos, e mais importante ainda é saber que leis brasileiras permitem que certos ingredientes nocivos à saúde não tenham a obrigação de aparecer listados nas embalagens.

Alimentos que não estragam com facilidade causam estranhamento, né?

Troque a comida processada, embalada e congelada por alimentos frescos, preparados em casa. O processamento dos alimentos industrializados acaba com todas as vitaminas e propriedades benéficas dos ingredientes bons, e adicionam glutamato monossódico, excesso de cloreto de sódio, gorduras trans, só para falar alguns.

Fazem muito mal para hipertensos, não nutrem, são cheios de calorias e gorduras saturadas e não costumam saciar bem a fome, pois têm um índice glicêmico altíssimo.

Prefira, se possível, produtos orgânicos – livres de agrotóxicos e sem modificação genética.

2 – Conheça o seu corpo

Cada pessoa tem um histórico, uma genética e uma trajetória única. Muitos são alérgicos a alimentos que fazem maravilhas para outras pessoas. Não adianta ler um manual de bons alimentos, comprá-los todos, e simplesmente ir comendo.

É essencial que se prove um por um, percebendo o efeito que têm no corpo. Muitas pessoas não são intolerantes à lactose, mas são alérgicos a ela. Ao beberem leite ou comerem um queijo ou outro derivado, podem ter: rinite alérgica, coriza, coceiras no nariz e garganta, gases ou até irregularidades intestinais.

Como isso não necessariamente ocorre logo depois de se comer, muitas pessoas passam anos sem conectar os fatos.

Isso pode acontecer com qualquer alimento no seu corpo.

Preste atenção se certos alimentos pesam muito no estômago; se dão azia ou refluxo; se dão a sensação de pararem no estômago, com seu gosto o dia inteiro voltando para a boca; se você tem alergias e problemas respiratórios quando come certos alimentos.

Experimente cortá-los por um mês e veja se há diferença. Ninguém sabe mais sobre o seu corpo do que você.