Mantenha o seu cérebro jovem e afiado com o espinafre

Mantenha o seu cérebro jovem e afiado com o espinafre

Compartilhar

Não há dúvidas de que o segredo para um corpo saudável, em qualquer idade é ter uma boa alimentação, levar um estilo de vida leve e saudável. Ele ajuda não somente a controlar o peso, mas também a melhorar o funcionamento do organismo como um todo. Na juventude, é bastante comum não se atentar a importação de uma alimentação saudável, e cometer excessos.

Entretanto, é exatamente na idade mais avançada que pagamos o preço das más escolhas alimentares feitas quando jovens. A chave de um envelhecimento tranquilo e saudável é levar um estilo de vida moderado desde jovem. Muitas das doenças que aparecem na velhice, como demência, Alzheimer e outras ligadas a perda de memória podem ser minimizadas (e até evitadas) na juventude.

O segredo não está no consumo de remédios ou estimulantes, mas puramente na alimentação saudável. Alguns alimentos são especialmente conhecidos por promover um bem-estar físico e mental, e aumentar a capacidade do cérebro. A maior novidade para manter o seu cérebro jovem e evitar o aparecimento de doenças como o Alzheimer é o consumo de espinafre. Além de ser ótimo para a saúde de forma geral por ser riquíssimo em proteína, estudos recentes apontam que o seu consumo regular ajuda a manter o cérebro jovem e saudável.

O espinafre no combater ao Alzheimer

Após um estudo de alimentação feito pela universidade Americana de Rush, em Chicago, foi descoberto que o consumo de vegetais folhosos verdes, principalmente o espinafre, está diretamente relacionado a menor declínio da capacidade cognitiva dos participantes do estudo. A dieta alimentar, assim como a capacidade mental de 950 voluntários foi avaliada ao longo de 02 anos.

Aqueles que consumiam espinafre ou couve pelo menos 2 vezes na semana conseguiram proteger o seu cérebro de um declínio mental e da capacidade cognitiva em até 11 anos

se comparado aqueles que não consumiam estas folhas com frequência. A explicação está nos altos níveis de vitamina K, betacaroteno, luteína e ácido fólico.

A média de idade dos participantes do estudo foi de 81 anos, tendo passado por 19 testes diferentes que avaliaram as suas funções metais e cognitivas. Cruzadas com as informações dos testes também estavam a sua dieta diária assim como histórico familiar de doenças mentais ligadas a demência assim como o nível de pratica esportiva.

De acordo a idealizadora do estudo, Dra. Martha Clare Morris, aliados a um estilo de vida saudável e ativo, o consumo de vegetais de folha verde escuro são uma excelente opção não invasiva e natural de manter o cérebro jovem e sadio, em qualquer idade.