O que é a hiperêmese gravídica, que enfrenta a duquesa Kate Middleton

O que é a hiperêmese gravídica, que enfrenta a duquesa Kate Middleton

Compartilhar

Por qualquer que seja o motivo, a família real Britânica está sempre na mídia. Quer seja pelo seu estilo de vida ostentador ou ainda pela longevidade da matriarca da família, a rainha Elizabeth no auge dos seus 91 esbanja muita saúde, causando um verdadeiro burburinho no quesito sucessão familiar.

Entretanto, a família real britânica esteve nas manchetes dos jornais de todo o mundo na semana passada por outro assunto: a terceira gravidez da duquesa Kate Middleton, casada com o Príncipe William. O casal, pai de George de 04 anos e Charlotte de dois anos está à espera do seu terceiro filho.

Junto com toda a curiosidade pela gravidez, o quadro de saúde da duquesa de Cambridge alertou o mundo todo para uma condição comum a algumas gravidas: a hiperêmese gravídica. Claro que, por se tratar de um momento delicado e especial na vida da mulher, é comum uma série de mudanças corporais e o enjoo é a principal delas, mas é importante entender que condição é essa e saber diferencia-la de um enjoo o u náusea comum a gravidez.

O que é a hiperêmese gravídica?

O quadro de hiperêmese gravídica já é antigo conhecido da duquesa. Ela conta que sofreu do mesmo problema na gestação de George e Charlotte. Diferente das náuseas e enjoos natural da gravidez em vista de toda a mudança corporal e hormonal, na hiperêmese gravídica, as náuseas e vômitos são severas. Mais comum nos primeiros meses de gravidez, se percebido

De acordo com o texto, Kate teve o mesmo problema em suas duas gestações anteriores – lembrando que ela é mãe do pequeno George, de 4 anos, e Charlotte, de 2. Nele, a mulher desenvolve um tipo severo de náuseas e vômitos, principalmente no período da manhã. Não é raro que mulheres com essa condição sejam sujeitas a internação hospitalar para controle das náuseas que podem causar desnutrição a mãe e ao feto.

A causa da hiperêmese gravídica não é clara entre os médicos e especialistas, mas acredita-se que a culpa seja das alterações hormonais típicas da gravidez, como a elevação dos níveis de estrogênio, progesterona e HCG, que provocam a diminuição na capacidade de esvaziamento gástrico. Além disso, as hipersensibilidades dos sentidos, como olfato e paladar, deixam a gestante mais propícia a ter ânsia.

Quais são os sinais?

Diferente de uma náusea comum, o quadro de hiperêmese é constante e por isso deve ter acompanhamento médico. A gestante, em conjunto com o seu médico e outros profissionais de saúde, devem estar atentos aos sinais de perda excessiva de peso e desidratação causada pelo vomito constante.

Gestante com esse quadro emagrecem na gravidez, estão especialmente indispostas no período da manhã, mas vomitam ao longo do dia. Para ela, é difícil ingerir alimentos e bebidas e nada parece melhorar as náuseas. Nesses casos, o ideal é consultar o seu obstetra para diagnostico corretor e posterior tratamento ou controle da hiperêmese gravídica.