O que é o amor platônico e como lidar com ele

O que é o amor platônico e como lidar com ele

Compartilhar

O amor é sempre algo especial e quando acontece, é uma delícia. Aquele sentimento de felicidade plena, o contar os minutos para ver a pessoa especial, apreciar a companhia do outro, morrer de saudades. Amar é, sem dúvida, uma das melhores sensações e sentimento que uma pessoa pode vivenciar.

Entretanto, como tudo na vida, nem sempre o amar vem com toda essa explosão de sentimentos maravilhosos. Quando o amor não é comprometido, a situação pode causar muita dor e sofrimento para aquela pessoa. O sentimento de impotência, as baixas autoestimas diante do amor não correspondido podem acabar com os sentimentos da pessoa.

Muitas pessoas acabam chamando de amor platônico aquele que não é correspondido, qualquer que seja o motivo. Entretanto, a natureza do amor platônico é um pouco diferente. Na verdade, ele está muito mais associado a ideia de amar alguém que é distante, impossível, inalcançável do que a falta de correspondência do amor em si. Para ajudar a te esclarecer este conceito um pouco complexo, consultamos a especialista em terapias energéticas e Hollisticas Ceci Akamatsu:

“Geralmente o amor platônico está mais associado às mulheres, porque ainda existe, mesmo que apenas de forma inconsciente, a crença de que é o homem quem deve buscar a mulher. A mulher muitas vezes fica à espera de ser correspondida, enquanto o homem vai buscar de forma ativa a validação de seu amor. Com isso, a mulher acaba criando nesta espera um amor platônico”, explica Ceci. “Mas, sejamos homens ou mulheres, estamos sujeitos aos amores platônicos, em todas as idades. As pessoas com essa atitude mais retraída, menos proativas na vida afetiva, como no caso de timidez, acabam ficando mais sujeitas ao amor platônico”, acrescenta.

Afinal, o que significa amor platônico?

O conceito de amor platônico surgiu através do livro O Banquete”, do filosofo grego Platão, que dialoga e filosofa sobre as variadas definições de amor. “Diversas faces do amor são abordadas, porém, é Sócrates quem traz o amor como a busca pelo belo e bom. Essa seria uma busca pelo o que não se tem, por aquilo que falta”, diz Ceci.

“Uma vez que se conquista o amor, não se deseja mais, não se ama mais, porém, passa-se a se desejar o que vai vir a ser, ou seja, o amor que ainda não se tem no momento, o que falta. Com isso surge a ideia da busca pelo amor que está sempre além de nosso alcance”, acrescenta a especialista.

O amor platônico está geralmente associado à ideia de um amor inalcançável, impossível. “Essa distância e impossibilidade podem se dar em diferenças de idade, sociais, culturais, por preconceitos, ou simplesmente por uma barreira interna de insegurança e medo de rejeição”, destaca Ceci.