Os Melhores (e Piores) Óleos para usar na cozinha

    Compartilhar

    Aquele antigo mito de que as gorduras são vilas da nossa saúde caiu por agua abaixo. Estudos recentes mostram que o açúcar e os carboidratos têm efeito muito pior para a nossa saúde. Entretanto, por mais que existam as boas gorduras que são indispensáveis para mantermos a nossa saúde, é preciso conhecer os diferentes tipos de gorduras e aprender a fazer boas escolhas no dia a dia.

    Mesmo com essa redescoberta do papel indispensável da gordura, alguns óleos (na verdade os mais comuns do mercado) podem sim fazer mal a saúde. Eles agravam o risco de aparecimento de doenças cardiovasculares, colesterol e risco de infartos e derrames. Por isso, é indispensável saber escolher bem um óleo para chamar de seu!  São três as categorizações de óleos e azeites baseadas no tipo de ácido graxos que cada um possui:

    • Saturados: estáveis mesmo quando exposto ao calor e luz. Óleos com altos níveis de ácidos graxos saturados são a melhor escolha para cozinhar.
    • Monoinsaturados: são relativamente estáveis quando expostos ao calor, porém só funcionam bem quando submetidos à temperatura baixa ou média.
    • Poli-insaturados: são instáveis e podem produzir níveis significativos de radicais livres quando expostos ao calor. Não devem ser usados para cozinhar.

    Para te auxiliar nessa difícil escolha de trazer mais saúde para você e sua família, vamos listar em ordem de melhor para pior os óleos/azeites.

    Gorduras Ideais

     

    Óleo de Coco

    O óleo de coco é uma gordura quase que completamente saturada que tem sido associada a reduções nos níveis de colesterol e pode promover outros benefícios à saúde, como o aumento da energia e a preservação de um sistema digestivo saudável. Ele pode suportar o calor necessário para cozinhar a maioria das receitas, além de ser ótimo para a saúde da pele e dos cabelos. Já experimentou fazer uma umectação dos fios com o óleo de coco? O resultado são fios macios, cheirosos e hidratados.

    Óleo de Palma / Dendê

    O óleo de palma ou dendê é muito rico em gordura saturada, e permanece estável sob altas temperaturas. Contém alto teor de carotenoides, incluindo licopeno e muita vitamina E.. Embora este óleo possua todas essas características maravilhosas, infezlimente no Brasil é muito difícil encontrar a versão pura desde óleo.

    Ghee (Manteiga Clarificada)

    A manteiga Ghee virou uma verdadeira queridinha do mundo fitness. Ela nada mais é do que a manteiga clarificada e pode ser feita em casa. O processo é basicamente retirar a lactose da manteiga, fazendo com que ela possa ser consumida por pessoas com níveis toleráveis de alergia. O ghee tem um ponto de fusão mais alto do que a manteiga normal, azeite de oliva ou outros tipos de óleos — tornando-se uma ótima opção para refogar ou fritar alimentos, mantendo aquele gostinho maravilhoso de manteiga.

    Os óleos Intermediários

    Azeite de Oliva

    Muitos acham que o azeite de oliva é uma maravilha para a saúde, entretanto é preciso ter cuidados. É uma grande fonte de gorduras monoinsaturadas, que ajudam no controle dos níveis de colesterol e têm sido associados à boa saúde do coração. Ou seja, sim,ele é excelente para a saúde, se usado em receitas frias. Para temperar aquela salada, pode apostar no azeite. Entretanto, em temperaturas acima de 180 graus, o azeite se oxida e perde suas propriedades.

    Óleo de Abacate

    O óleo de abacate possui composição semelhante à do azeite de oliva, com a presença significativa de gorduras monoinsaturadas, e um pouco de gorduras saturadas e poli-insaturadas. Está repleto de gorduras saudáveis. Fornece benefícios de saúde adicionais, como a redução potencial de doença cardíaca. Rico em vitaminas, minerais e antioxidantes.

    Piores Óleos 

    Quando falamos de cozimento, uma das coisas mais importantes a ser considerada é a estabilidade do óleo ou gordura diante do calor. Quanto mais insaturada é a gordura, ou seja, quanto maior o número de duplas-ligações nas moléculas de ácidos graxos, mais suscetível ela é aos danos oxidativos provocados pelo calor e pelo oxigênio. Então, os piores óleos para cozinhar são:

    • Óleo de soja
    • Óleo de canola
    • Óleo de milho
    • Óleo de algodão
    • Óleo de girassol
    • Óleo de amendoim