Por que usar o Sal do Himalaia?

Por que usar o Sal do Himalaia?

Compartilhar
sal-do-himalaia

Você já deve ter visto no supermercado um sal grosso, todo rosado, à venda – por um preço comumente mais alto.

Também já deve ter lido algo sobre o sal rosa do Himalaia, ou ouvido alguém falar a respeito. O que esse sal tem de diferente?

Por que de repente surgiu como a nova opção saudável?

Fala-se mais e mais sobre os perigos do excesso de sódio na nossa alimentação.

Muito sódio ajuda a elevar a pressão arterial, colocando em risco os hipertensos, ou com tendência à hipertensão, além de ajudar na retenção de líquido, causando inchaço, interferindo no funcionamento intestinal, além de outros problemas.

Quando falamos desse excesso de sódio, geralmente nos referimos ao sal de cozinha.

O sal de cozinha é, de fato, um grande vilão. Afinal, ele é resultado de um grande processo químico, refinado, que isola o cloreto de sódio.

É por isso que fica tão agressivo na língua quando ingerido em excesso, causando tanta sede. Ele é, de fato, um veneno – pois é ingerido puro, tendo 2,5% de químicas – e até açúcar – por conta do refinamento.

O cloreto de sódio é geralmente tirado do sal marinho, que é o tradicional sal grosso iodado. Antes do sal do Himalaia chegar, o sal marinho era dado como a melhor opção – afinal, não passava pelo processo do sal refinado, mantendo mais componentes, sem químicas.

Porém, os problemas do sal marinho podem ser muitos. Nossos oceanos não estão em bom estado. Vazamentos de óleo, poluentes químicos e industriais e, agora, radiação, já contaminam os mares do mundo inteiro. Consumir o sal marinho pode implicar no consumo de muitas toxinas, potencialmente perigosíssimas.

O sal rosa, por outro lado, é tirado da região do Himalaia, sem qualquer contato com esses poluentes e toxinas que infelizmente tomaram conta dos oceanos. É um sal de milhões de anos, livre de toxinas, e contém os mesmos 84 minerais e elementos encontrados no corpo humano.

Então, ao contrário do sal de cozinha, ele não é um perigo – ele é, na verdade, um grande nutriente que também dá aquele sabor salgado. Não é um componente concentrado de sódio.

 Os benefícios do sal rosa são muitos: ajuda a controlar os níveis de água no corpo; promove o equilíbrio do pH das células, incluindo as do cérebro; auxilia no equilíbrio dos níveis de açúcar no sangue; promove a melhor absorção de nutrientes pelo trato intestinal; diminui a incidência de cãibras; e, exatamente oposto ao sal refinado, ajuda a regular a pressão arterial, além de ser um vitamínico para a circulação sanguínea.

O sal do Himalaia é benéfico para a saúde dos rins e bexiga – especialmente se comparado ao sal de cozinha, que faz muito mal para esses órgãos, podendo causar por exemplo cálculos (pedras).

 Compre um moedor de sal e experimente fazer essa troca!

O sal do Himalaia é muito saboroso e, como visto acima, muito nutritivo e limpo. Uma das provas é o excesso dele – quando erramos na dose e salgamos demais a comida com o sal rosa, ele fica salgado, mas não agressivo para a língua ou céu da boca.